segunda-feira, 24 de outubro de 2016

História das Unhas Artísticas

Com maior popularidade nos Estados Unidos e continente europeu, Nail Art é um conceito estético e artístico no ramo de manicure, direcionado ao design das unhas. 

Atualmente, os esmaltes lideram o ranking brasileiro de Desenvolvimento de Novos Produtos, na divisão de maquiagem, respondendo por quase 60% do total. Em 2015, o mercado comercial do produto movimentou mais de R$600 milhões, com cinco milhões de unidades vendidas - segundo Mintel e Euromonitor. O resultado colocou o país em segundo lugar na lista dos maiores mercados mundiais, atrás, apenas, dos EUA.

No exterior, com o uso de técnicas e recursos específicos, foram introduzidos conceitos e tendências de moda, mas Tókio se destaca com suas criações diferentes e originais. Como sinônimos de criatividade e perfeccionismo, as japonesas transformam a manicure artística em verdadeiras obras estéticas, utilizando decorações 3D e pinturas à mão. As brasileiras, por sua vez, preferem traços delicados e discretos, afirmam os especialistas.

História Nail Art Unhas Decoradas
Tradução do artigo The Illustrated History of Nail Art, de Gloria Chang para o site Refinery29. Algumas edições de trechos e observações foram adicionadas, para um texto mais coeso e coerente. Créditos de imagens reservados à Refinery29.

Na próxima vez que retirar um frasco com esmalte do seu armário, pense sobre como pessoas desenvolveram o mesmo ritual, há exatos 7.000 anos! Isso mesmo. A história do esmalte - ou Nail Art, para ser exata... Leia e verá - é longa, cheia de altos e baixos, jóias preciosas, ideais vitorianos, momentos de descoberta e lacunas sem inspirações.

Viajamos através da história, para melhor entendermos essa querida prática de decoração, que atravessa gerações e continentes. Aparentemente, não somos os únicos a enfeitar nossas unhas. Apresentando: A História Ilustrada das Unhas Artísticas!


5000 a.C.: Embora a origem exata dos cuidados com unhas seja desconhecida, muitas fontes dizem ter início na Índia. As indianas tingiam suas mãos com hena - a prática continua nos dias atuais.

Obs.: No Egito, entre os anos 3000 - 4000 a.C., cientistas descobriram que as múmias tinham suas mãos decoradas com hena, também.

• 3000 a.C.: Os chineses criaram uma fórmula complexa com goma arábica, gelatina, cera de abelha, corantes vegetais e claras de ovos. Orquídeas e pétalas de rosas trituradas ajudaram a produzir tons de rosa ao vermelho, mas a aplicação nas unhas era demorada e, mesmo durante a noite, para produzir um efeito, devidamente, pigmentado.

História Nail Art Unhas Decoradas

• 600 a.C.: Na China, durante a Dinastia Zhou, aristocratas preferiam exibir longas unhas douradas ou prateadas. Ponteiras cravadas de jóias preciosas protegiam as unhas, sendo um símbolo de riqueza.

Obs.: Na dinastia Tang - 618 a 907 a. C. -, a princesa Yang Kwei-fei tinha o hábito de pigmentar suas unhas.

• 0 - 1800 d.C.: Por um longo período, durante a Idade Média, manicure era considerada, mais ou menos, uma coisa do passado. De fato, a Idade das Trevas! Durante a Renascença, a antiga tradição de cuidados foi, finalmente, retomada por mulheres europeias ricas - embora, evitassem qualquer pigmento. No entanto, houve um momento brilhante nessa época... No século XV, há oceanos de distância, os Incas inventaram as “unhas artísticas” que conhecemos - decoravam suas unhas com imagens distorcidas de águias.


História Nail Art Unhas Decoradas

• 1800 - 1900: A manicure é popular, novamente. Durante a era vitoriana, eram usados tratamentos simples com base em óleos claros, de tonalidade avermelhada, acompanhado por polimentos com camurça. Esse tratamento minimalista foi, em parte, devido aos ideais vitorianos de beleza interior, higiene física e pureza moral. Guias de etiqueta recomendavam, apenas, suco de limão ou vinagre para clarear as pontas das unhas, enquanto o mais famoso romance de Flaubert - Madame Bovary, em 1856 -, descreveu as unhas de Emma Bovary como “o marfim, mais claro e limpo”.

• 1920: Foram as, irreverentes, mulheres melindrosas que, desfrutando de novas atitudes, revigoraram a cena da nail art com o clássico vermelho, assim como a manicure em meia-lua.

História Nail Art Unhas Decoradas

• 1930: Em 1932, Revlon desenvolve um esmalte especial, diferente de todos os que existiam - uma opção mais acessível e econômica para estar em voga, durante a Grande Depressão. O esmalte, como conhecemos, surgiu nessa época, devido a um novo conceito - substituir a pigmentação nas unhas, por vernizes com cores sólidas. Uma ideia revolucionária, inspirada em tinturas automotivas, pela maquiadora francesa Michelle Menard, desenvolvida por Charles e Joseph Revson, juntamente com um químico, Charles Lachman.

• 1930 - 1950: Em 1934, surgiu o primeiro conjunto de unhas postiças, criado pelo dentista Maxwell Lappe, para pacientes que ruíam as unhas. Em 1955, após tentar consertar uma unha quebrada com acrílico, Frederick Slack - outro dentista -, acidentalmente, inventou as chamadas extensões acrílicas para unhas.


História Nail Art Unhas Decoradas

• 1960: Unhas em tons pastel eram populares entre os jovens, nos anos 60. Atrizes como Farrah Fawcett e Goldie Hawn, combinavam as cores dos esmaltes com os olhos - e cabelos! -, as tornando mais naturais.

• 1970: A prática de aplicar longas unhas postiças se propaga. Para corresponder à demanda por manicure especializada, aumenta o número de salões abertos. Em 1976, a unha artística mais conhecida entre as ocupadas estrelas de Hollywood, é criada pelo norte-americano Jeff Pink: A Francesinha.


História Nail Art Unhas Decoradas

• 1980: As cores ousadas, características na moda oitentista, eram tendência para as unhas... Uma sucessão multicolorida de esmaltes foi disponibilizada, desde amarelo néon, à fúcsia cintilante e azul fluorescente. 

• 1990: O minimalismo trouxe cores tradicionais, como vermelho, nude e rosa, de volta à moda. Também, os fãs de grunge se destacaram com seus esmaltes pretos, propositalmente, manchados e lascados. 

História Nail Art Unhas Decoradas

• 2000: Com texturas modernas, brilhos e enfeites, os recursos na manicure artística evoluíram para técnicas apuradas. O interesse por nail arts tem crescido, assim como o mercado comercial de esmaltes. A manicure artística compõe o vestuário, proporcionando decorações, cada vez mais, complexas. Inovações no campo tecnológico das unhas continuaram com a criação de uma fórmula especial, chamada Shellac - primeiro esmalte em gel, com durabilidade superior e à prova de manchas - e a utilização de argila plástica - popularmente, conhecida como FIMO ou Polymer Clay, em inglês. Por décadas, a prática “Do It Yourself” reinou entre entusiastas das unhas, frequentando salões e experimentando uma miríade em ilustrações e efeitos caseiros.


Ora, quem diria? A história por trás da manicure artística é mais interessante e complexa, do que imaginávamos. O hábito de pigmentar as unhas transcende gerações e continentes, estando presente em vários momentos históricos. A tendência Candy Colors atual precede o conceito de moda, presente nos anos 60, bem como efeitos e cores vibrantes, precedem o conceito de moda oitentista, abrangendo o design de unhas, também. Embora, as manicures artísticas em meia-lua e “a francesinha” tenham surgido em outras décadas, estão presentes nos dias atuais, mesmo com todo o avanço tecnológico. Portanto, em termos de moda e seu entendimento, concluímos que nada se cria... Tudo se recicla! 

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Vendo as nail art de 5000 antes de Cristo, pra mim eles eram dislexicos HSUIAHUISHAUIHSUIH brincadeiras á parte.
    Eu amo minhas mãos e nunca fui de fazer muitas estravagancias de Nail art mas quando for pro Japão, kirida, vou querer aquelas unhas maravilhosas cheia de blingblings.
    Prosperidade!
    A Bela, não a Fera blog | A Bela, não a Fera Youtube | Converse comigo no Twitter!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ������ Sim! Mas, faz parte da cultura indiana.

      Olha, eu não costumo extravasar em Nail Art, também. Tenho preguiça... Porém, faço das suas, as minhas palavras e AMÉM!

      É um prazer te conhecer e seja bem-vinda ao Necro Side.

      Excluir

Para que a devida atenção seja dada aos visitantes do blog, os comentários passaram por moderação, onde serão lidos e respondidos.